quinta-feira, 3 de março de 2016

Lanches e lanchinhos!


 Nos tempos que correm, com todos os produtos alimentares direcionados para crianças, visualmente apelativos, com sabores que cativam , mas com propriedades nutricionais duvidosas, torna-se um verdadeiro desafio enviar lanches e snacks para a escola que sejam nutricionalmente adequados, saudáveis, mas igualmente apelativos, não esquecendo que com a falta de tempo dos pais, possam ser fáceis de preparar e possíveis de preparar de véspera.
O mais importante a reter é que as crianças necessitam de 1 lanche a meio da manhã e de 1 a 2 lanches durante a tarde (crianças que passam muitas horas na escola ou que têm atividades extracurriculares deverão fazer mais um lanche à tarde). É muito importante manter o cérebro “alimentado”, pois está sugerido em alguns estudos que as crianças que fazem “snakcs” ou lanches durante o período da manhã e da tarde, melhoram o desempenho escolar, os níveis de atenção e até o comportamento. Mas há que saber escolher os alimentos, pois produtos muito açucarados, com gorduras, muito manipulados, refrigerantes com estimulantes como a cafeína poderão ter um efeito contrário, tornando as crianças menos atentas e com piores comportamento e desempenho. Importante será fazer escolhas saudáveis e estar atento para as escolhas feitas pelas escolas ou nas escolas, pois quando mais velhos, os adolescentes tendem a não levar lanche de casa e comprar no bar e se os produtos disponíveis forem menos saudáveis, será difícil fazerem opções cuidadas.

Os lanches devem ser compostos por fontes de cálcio, como leite, iogurte ou queijo (escolher produtos com quantidades reduzidas de gordura); fontes de hidratos de carbono e fibra, como pão escuro, tostas, cereais integrais não manipulados, bolachas com quantidades reduzidas de gordura e açucares; e fontes de vitaminas, minerais e fibras, como fruta ou legumes (palitos de cenoura ou mini pepinos podem ser uma solução para “petiscos”).
Os lanches dos mais pequenos podem “puxar” mais pela nossa imaginação, e utilizar alguns cortadores de bolachas, para tornar o pão ou os pedaços de fruta mais apelativos, pode ser uma possibilidade. 

- Caixas e caixinhas com divisórias, térmicas para produtos mais “frágeis” como os iogurtes, com cores divertidas para  cativar e entusiasmar as crianças. 
- Ter sempre pão (fatiado ou em doses individuais) congelado e descongelá-lo durante a noite é uma solução para quem sai muito cedo de manhã e não tem tempo de ir comprar pão fresco (NÃO utilizar pão de forma, porque tem gordura e açucar adicionados), ou então fazer o próprio pão (receita) poderá ser também uma solução saudável.
- Fazer os próprios cereais: comprar flocos de trigo, centeio, aveia, todos integrais, tostá-los e utilizá-los, sem açucar nem mel, misturar com fruta e iogurte ficará igualmente saboroso, mas muito mais saudável. (Possibilidade de adicionar frutos oleaginosos ou "gordos", como nozes, amêndoas ou avelãs, também tostados, e fruta desidratada como côco, ananás, banana ou maçã darão o "toque" adocicado aos cereais).

A Associação Portuguesa de Nutricionistas, criou um guia para lanches escolares, dividido por classes etárias, dias da semana, e tipos de lanche (manhã ou tarde), para de alguns conselhos adicionais, como por exemplo, enviar a fruta já preparada, enviar os produtos em caixas pequenas e separados, proteger produtos mais sensíveis ao calor em caixas ou sacos térmicos e não esquecer... ENVIAR SEMPRE UMA GARRAFA DE ÁGUA...
Façam o download deste (Guia de bolso de Lanches Escolares), e tornem os lanches dos vossos filhos mais saudáveis, variados, visualmente apelativos, não esquecendo o sabor.

Sem comentários: