quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Preparação e armazenamento de alimentos

Desde a preparação dos alimentos, manipulação de produtos almentares, confeção ao armazenamento devemos ter em conta alguns princípios básicos de higiene, quer pessoal quer dos utensílios de cozinha, regras de manipulação e conservação, para eliminar riscos de doenças de transmissão alimentar.

Os produtos hortícolas, os legumes e os frutos que sejam ingeridos crús e com casca, devem ser sempre desinfetados, depois de bem lavados, com produtos específicos ou com uma solução de 10 gotas de lixívia para um litro de água, durante 15 a 20 minutos. E depois voltar a passar por água corrente. (Nota: os agriões, mesmo desifentados, continuam muitas vezes a ser veículo de microorganismos patogénicos mais resistentes, logo deve ser evitado o seu consumo crú)

Durante a preparação dos ingredientes não deve juntar alimentos crús com alimentos confecionados, nem alimentos de origem vegetal com alimentos de origem animal, evitando assim contaminações.

Todos os pratos que usem ovos na sua confeção, se não forem logo consumidos devem ser imediatamente refrigerados, nunca deixados à temperatura ambiente, para evitar o risco de multiplicação de salmonelas, muitas vezes presentes nos ovos.

Nunca deixar pratos acabados de cozinhar ou preparar à temperatura ambiente. O "morno" é a temparatura a evitar nas cozinhas, pois é no "morno" que os microorganismos patogénicos se multiplicam. Se não forem logo consumidos, os alimentos devem ser mantidos ou muito quentes (acima de 60ºC) ou refrigerados de imediato a temperaturas inferiores a 10ºC.

Nunca conservar alimentos cozinhados junto de alimentos crús, pois há maior risco de contaminação.

A carne deve ser sempre bem cozinhada.

O reaquecimento deve ser bem feito, para eliminar microorganismos que tenham aparecido.

Um produto descongelado não deve ser congelado outra vez.

Respeitar sempre prazos de validade e normas de acondicionamento e conservação.
(Nota: nos enlatados, mesmo que estejam dentro do prazo de validade, se apresentarem a tampa abaulada ou libertarem gás aquando da sua abertura, devem ser rejeitados, pelo risco de botulismo, doença grave e muitas vezes mortal)

Fonte: "Manual para uma alimentação saudável em Jardins de Infância" - Direção Geral de Saúde (httpp://www.dgs.pt/) 

Sem comentários: